Arquivo para rap

Os brodas Dokttor Bhu e Shabê apresentam “Conglomano”

Posted in Uncategorized with tags , , , , , , on janeiro 16, 2013 by Roger Deff

Dokttor Bhu e Shabê-0058

Nossos parceiros Dokttor Bhu e Shabê pré-lançam, nesta quarta-feira, o primeiro álbum da dupla, intitulado “Conglomano”, algo como conglomerado de manos, dando uma ideia da brodagem e a turma que somou no projeto. O show integra a programação do Verão Arte Contemporânea e será realizado no Teatro Marília, a partir das 20 hrs 30.

Além do trampo singular dos caras, o CD conta com participações de amigos de longa data, como Radical Tee, Monge Mascavo, Marcos Nascimento e Tom Nascimento. Eu também tive a honra de contribuir e agregar ao time. Pra nós do Julgamento a satisfação é ímpar, não só por se tratar de mais um importante trabalho de Hip-Hop lançado em BH, mas pela trajetória que acompanhamos de muito perto.

Dokttor participou do nosso primeiro CD “No Foco do CAOS”, lançado em 2008. Quando gravamos a faixa CAOS, a banda Divisão de Apoio, da qual ele fazia parte, havia  encerrado as atividades há pouco tempo. Trata-se de um dos trabalhos mais importantes da história do rap em Belo Horizonte, pioneiro por agregar instrumentos (baixo e guitarra) a um estilo cuja formação clássica é o DJ e o MC. Em BH os caras desbravaram um caminho que mais tarde foi incorporado por bandas como o Julgamento, Coletivo Dinamite e Zimun.

Fiquei feliz quando o Dokttor me disse que o convite pra participar do nosso trabalho deu novo fôlego para que ele pudesse dar sequência à carreira. De lá pra cá dividimos o palco várias vezes e o recentemente fizemos a música Babel em parceria com o Shabê (uma homenagem aos 115 anos de Belo Horizonte).

No mais, a ocasião merece comemoração. Nosso rap ocupando e ampliando espaços e o som tem identidade própria e gás pra dar o que falar. “O que cê quer broda?!”

*Foto: Marco Aurélio Prates

 

#OPODERDAPALAVRA!

Posted in Uncategorized with tags , , , , on dezembro 1, 2012 by Roger Deff

Finalmente o filho nasceu!

A ideia era liberá-lo para divulgação na sexta, dia 30, mas tudo conspirou para que ele viesse mesmo no dia 01/12. Felizes com o resultado, só podemos esperar que vocês gostem tanto quanto a gente. Valeu Dudu, Ricardo, Nathy e toda a moçada que fortaleceu!

Julgamento no Festival Escambo

Posted in Uncategorized with tags , , , , , , , on julho 22, 2012 by Roger Deff

“Nós estamos de volta!”

Essa frase, tão emblemática do trabalho do grupo é oportuna para marcar o primeiro post depois de tanto tempo distantes do blog.  Na sexta-feira, dia 20 de julho, estivemos no Festival Escambo, ao lado dos nossos parceiros de longa data, o grupo SOS Periferia.

Desnecessário, mas vale frisar que o show dos caras faz jus à reputação. Formidável!

Nosso guitarrista Helder Araújo não estava presente mas contamos com a participação especial de Thiago “Fofão” Guedes, da banda 4Instrumental, um dos grandes nomes do atual momento da música independente no Brasil.

Satisfação em todos os sentidos, tanto por dividir o palco com figuras tão queridas por todos nós do Julgamento, quanto por voltar ao Escambo e, em especial, a Sabará, cujo público sempre nos recebeu muito bem. Parabéns ao Fórceps pela organização e por manterem este espaço tão importante para artistas dos mais diversos estilos e localidades. Esperamos voltar em breve.

*Fotos:

Flyer – Marco Aurélio Prates

Show: Fora do Eixo Minas

Show no FIT – Festival Internacional de Teatro Palco e Rua

Posted in Uncategorized with tags , , , , on junho 13, 2012 by Roger Deff

Vamos fazer mais barulho no Parque Municipal, ao lado dos brothers do Zimun e do DJ Nedú Lopes. As apresentações acontecem nesta quarta-feira, a partir das 19:30. O Julgamento toca às 21 hrs em ponto. Nos vemos lá!

*Arte de Andreia Alvarez/ foto Marco Aurélio Prates

Missão cumprida: Duelo de MCs e cultura de BH representados no Canadá

Posted in música, política with tags , , , , , , , , , , , , on março 3, 2012 by Gusmão

Após uma semana intensa de conhecimento e experiências fora do Brasil, nosso batera Gusmão está de volta com as energias recarregadas e orgulhoso de poder representar um pouco do que acontece de mais expressivo nas ruas de Belo Horizonte: o Duelo de MCs. Através de sua pesquisa de mestrado pela faculdade de Música da UFMG sobre a cultura de rua de Belo Horizonte e o tratamento dado a ela pelo poder público ele foi apresentar seu trabalho no Music and Social Justice Symposium, um simpósio sobre Música e Justiça Social ocorrido na Carleton´s University, em Ottawa, capital do Canadá.

Segundo o próprio a apresentação foi bastante elogiada e contou com fotos e textos do que a cultura de rua de BH tem sido para além do Duelo, tendo falado um pouco também sobre a Praia da Estação, o Sarau Vira-Lata e o Carnaval de Rua. Os comentários tecidos pelos canadenses foram sobre “o espírito vivo” que essa cidade parece ter. Bela observação!

Foram 20 minutos de apresentação mais 10 minutos para perguntas, o que deixou tudo bem corrido devido a vastidão deste tema. No meio desta correria, registros da apresentação acabaram sendo sacrificados, infelizmente.

Um dos pontos mais interessantes da viagem em termos de contato foi conhecer o movimento de spoken word de Ottawa. Spoken word é uma espécie de poesia performática que tem um forte diálogo com as rimas dos rappers. Uma figura famosa nesse sentido é o poeta-dub Linton Kwesi Johnson, uma grande influência musical pro nosso batera, inclusive. Saca aí:

O pessoal envolvido com essa arte em Ottawa organiza um evento chamado Slam Poetry que é um duelo de poesia que acontece numa pequena casa de show de lá chamada Mercury Lounge, bem similar ao Nelson Bordello que temos aqui.

Ian Keteku, poeta, jornalista de formação e que também escreve alguns raps, é um dos entusiastas desse movimento na cidade. Ele convidou nosso batera por um rolé e pela cena de lá e pôde presenciar essa riqueza poética urbana. Saca aí um pouco do trabalho do Ian:

No Slam Poetry não só rappers participam mas qualquer pessoa disposta a recitar sua poesia com dramaticidade. O jurado são alguns membros da platéia que julgam e dão notas aos participantes ao final de cada recital que dura 3:30. Inevitável, não lembrar do Duelo nessas horas com a diferença de que no Viaduto a voz do povo é a voz de Deus e os versos vêm desembolados no som dos instrumentais de rap.

Interessante notar esses diálogos entre eventos geograficamente distantes mas próximos na proposta.

Os contatos foram estabelecidos e agora é aproveitar para romper com essa distância geográfica da cultura global urbana.

“Construindo pontes, união é a fonte…” – Muito Além, Julgamento.

Aplicação sonora de volta

Posted in música with tags , , , , , , on dezembro 2, 2011 by Gusmão

Salve, rapa! Gusmão na área voltando à ativa aqui no blog do Julgamento depois de muito sem postar nada (a correria da vida faz isso…).

Deixando as desculpas de lado, gostaria de compartilhar com vocês alguns sons de nu-jazz com rap que simplesmente me chaparam hoje e vão continuar chapando por um bom tempo, certamente.

Tão bom descobrir som bom… num é memo? rs

Primeiro vai aí o Taylor McFerrin, filho do ilustre Bob.

E agora o Dela, fino demais!

E por último, um som do Presto. Que vibe boa!

Pode crer, amizade?!

Confiram as fotos do nosso show no Conexão Vivo

Posted in música with tags , , , , , , , on maio 29, 2011 by Gusmão

Quem acompanha nosso blog, viu que o último post foi com as fotos que o broda Marco Aurélio Prates fez do nosso ensaio para o show de sexta-feira com participação Marku Ribas e Nathy Faria.

Dessa vez,  posto algumas das fotos que ele fez do show. Diga-se de passagem; show foda, energia boa, público respondendo bem às músicas, participações de Marku e Nathy muito bem colocadas e entrosadas.

Ao invés de ficar aqui “vendendo peixe”, peço a vocês que sintam a vibe que rolou lá no Conexão Vivo através dessas fotos…

Vida longa à música feita com alma!