Arquivo para Duelo de mcs

Duelo de MCs Nacional!!

Posted in Uncategorized with tags , on junho 14, 2012 by Roger Deff

MCs de sete estados brasileiros batalhando para fazer história. As eliminatórias locais acontecem entre junho e julho em Belo Horizonte, Brasília, Recife, Rio deJaneiro, Salvador, São Paulo e Vitória. Em BH, as seletivas começam no próximo dia 22 no Duelo de MCs. As inscrições são gratuitas. Devem ser feitas até 15 de junho e se encerram automaticamente quando o número de 32 inscritos for atingido.

A partir desta terça-feira, 12 de junho, MCs de qualquer cidade do interior de Minas Gerais podem se inscrever gratuitamente para participar das eliminatórias de Belo Horizonte. Para se inscrever, basta enviar um e-mail para duelodemcs@gmail.com, informando nome completo, nome artístico, endereço completo, CPF, RG e telefone. Os e-mails devem ser encaminhados com o assunto “Duelode MCs Nacional – Inscrições MG”.

Durante as eliminatórias belohorizontinas, os participantes que não residem em BH serão responsáveis pelos custos de sua vinda à capital. O que implica despesas de transporte, estadia e alimentação. Assim que a inscrição for confirmada, os inscritos receberão o regulamento de participação.

Missão cumprida: Duelo de MCs e cultura de BH representados no Canadá

Posted in música, política with tags , , , , , , , , , , , , on março 3, 2012 by Gusmão

Após uma semana intensa de conhecimento e experiências fora do Brasil, nosso batera Gusmão está de volta com as energias recarregadas e orgulhoso de poder representar um pouco do que acontece de mais expressivo nas ruas de Belo Horizonte: o Duelo de MCs. Através de sua pesquisa de mestrado pela faculdade de Música da UFMG sobre a cultura de rua de Belo Horizonte e o tratamento dado a ela pelo poder público ele foi apresentar seu trabalho no Music and Social Justice Symposium, um simpósio sobre Música e Justiça Social ocorrido na Carleton´s University, em Ottawa, capital do Canadá.

Segundo o próprio a apresentação foi bastante elogiada e contou com fotos e textos do que a cultura de rua de BH tem sido para além do Duelo, tendo falado um pouco também sobre a Praia da Estação, o Sarau Vira-Lata e o Carnaval de Rua. Os comentários tecidos pelos canadenses foram sobre “o espírito vivo” que essa cidade parece ter. Bela observação!

Foram 20 minutos de apresentação mais 10 minutos para perguntas, o que deixou tudo bem corrido devido a vastidão deste tema. No meio desta correria, registros da apresentação acabaram sendo sacrificados, infelizmente.

Um dos pontos mais interessantes da viagem em termos de contato foi conhecer o movimento de spoken word de Ottawa. Spoken word é uma espécie de poesia performática que tem um forte diálogo com as rimas dos rappers. Uma figura famosa nesse sentido é o poeta-dub Linton Kwesi Johnson, uma grande influência musical pro nosso batera, inclusive. Saca aí:

O pessoal envolvido com essa arte em Ottawa organiza um evento chamado Slam Poetry que é um duelo de poesia que acontece numa pequena casa de show de lá chamada Mercury Lounge, bem similar ao Nelson Bordello que temos aqui.

Ian Keteku, poeta, jornalista de formação e que também escreve alguns raps, é um dos entusiastas desse movimento na cidade. Ele convidou nosso batera por um rolé e pela cena de lá e pôde presenciar essa riqueza poética urbana. Saca aí um pouco do trabalho do Ian:

No Slam Poetry não só rappers participam mas qualquer pessoa disposta a recitar sua poesia com dramaticidade. O jurado são alguns membros da platéia que julgam e dão notas aos participantes ao final de cada recital que dura 3:30. Inevitável, não lembrar do Duelo nessas horas com a diferença de que no Viaduto a voz do povo é a voz de Deus e os versos vêm desembolados no som dos instrumentais de rap.

Interessante notar esses diálogos entre eventos geograficamente distantes mas próximos na proposta.

Os contatos foram estabelecidos e agora é aproveitar para romper com essa distância geográfica da cultura global urbana.

“Construindo pontes, união é a fonte…” – Muito Além, Julgamento.

O Largo dos Poetas e o Duelo de MCs

Posted in música, política with tags , , , , , on janeiro 18, 2012 by Gusmão

Quando Ouro Preto, no século XIX, declinava de seu apogeu dourado, os governantes começaram a pensar uma nova capital para Minas Gerais. Belo Horizonte seria a metrópole moderna que Minas não tinha, atendendo a aspirações burguesas de fim de século e colocando o estado num novo patamar de desenvolvimento. Construída sob os ideais positivistas de ordem e progresso, BH foi planejada para comportar 100.000 habitantes o que em 1970 já passava de 1 milhão. Para isso, a zona rural de Curral Del Rey foi desapropriada para a chegada dos novos moradores que deveriam ocupar e consumir aquele espaço.

O século seguinte chegou e com ele as obras de calçamento e arquitetura que buscavam apagar do mapa o velho Curral e seus primeiros habitantes. O referencial de modernidade naquele tempo era a Europa, os boulevards franceses e todo o requinte das ruas parisienses. Em 1929, quando o Viaduto de Santa Tereza foi construído com sua arquitetura arrojada e grandiosa buscava-se ligar o centro da cidade (Rua da Bahia, principalmente) aos bairros tradicionais da cidade como o Floresta e Santa Tereza que acabava de receber esse nome por causa da igreja localizada na Praça Duque de Caxias.

Imagem

É sabido que a Rua da Bahia era um ponto dos escritores e intelectuais da cidade que se encontravam em seus bares e cafés para a troca de idéias e boemia. O Viaduto de Santa Tereza que agora era um símbolo da modernidade metropolitana catalisava para si essas aspirações artístico-literárias sendo pensado para ser o Largo dos Poetas. A tradição de subir seus arcos foi iniciada por escritores como Carlos Drummond de Andrade e Pedro Nava e até hoje há quem repita essa proeza, incluí-se aí o autor deste texto.

O tempo passou e o Viaduto acabou não sendo mais que uma via de passagem. Já na década de 1980, quando o capitalismo do terceiro mundo já sentia a chegada dos ideais neoliberais inúmeras cidades brasileiras começaram a passar pelo chamado processo de “revitalização”. No caso belo-horizontino, uma obra que veio a calhar foi a construção da estrutura inferior do Viaduto composta por um palco, pista e arquibancada para apresentações e exposições numa tentativa de retomar as aspirações artísticas do Viaduto. E não é que esse projeto fazia parte das obras de revitalização da Rua da Bahia?!

Foi preciso mais de 20 anos para que de fato o Largo se tornasse dos Poetas. E não estamos falando dos poetas da academia, de identificação pequeno-burguesa. Mas sim dos poetas da rua, que respiram a cidade e se apropriam dela de uma maneira diferente. Em 2007, o coletivo de jovens hip-hoppers Família de Rua começava a organizar um dos eventos culturais mais marcantes da atual Belo Horizonte. Nada mais, nada menos que o Duelo de MCs.

O evento acontecia inicialmente num canto da Praça da Estação próximo do Viaduto se consolidando exatamente no momento em que se apropriou da estrutura inferior disponível. Centenas de pessoas freqüentam o lugar nas noites de sexta-feira onde é possível perceber gente de diferente cor, raça, ideologia e credo. Mesmo alcançando tamanho sucesso e relevância na capital tem enfrentado dificuldades junto às autoridades para se manter de pé sem um esforço constante dos organizadores. O que é uma contradição já que finalmente o Viaduto encontrou sua maior aspiração: a poesia.

Imagem

Texto por Gustavo “Gusmão” S. Marques

Leia também:

http://www.letras.ufmg.br/atelaeotexto/pesquisaluciocoelho.htm

http://bairrosdebelohorizonte.webnode.com.br/avenidas-e-ruas-de-bh-/

http://duelodemcs.blogspot.com/ 

Pra fazer pensar… e (por que não?) agir!

Posted in política with tags , , , , on dezembro 9, 2011 by Gusmão

Excelente entrevista de Juca Kfouri em seu programa de esportes com o prof. da UFRJ Carlos Vainer. Estudioso da política urbana e das conseqüências que os chamados Mega Eventos Esportivos trazem para as cidades aponta várias críticas de como o espaço urbano tem se transformado em verdadeiras empresas a busca de investimentos acima de qualquer prioridade.

Vale a pena assistir contextualizando com a política higienista que nossa cidade hoje vive com eventos super bacanas como o Duelo de MCs enfrentando problemas com o poder público.

É o programa na íntegra, 52 minutos que vale a pena pra oxigenar as idéias.

Repúdio à truculência – A resistência do Duelo de MCs

Posted in Uncategorized with tags , , on setembro 6, 2011 by Roger Deff

Totalmente dispensável a forma como os policiais abordaram as pessoas durante a última sexta-feira (dia 03 de setembro), no Duelo de MCs. Uma demonstração clara do autoritarismo tupiniquin e da clássica intolerância com a população.

Os integrantes do Família de Rua foram abordados de forma desrespeitosa, inclusive com ameaças físicas pelo tenente responsável pela operação. Como se não bastasse, soma-se tudo isso à uma cobertura “jornalística” superficial e tendenciosa realizada pela Record,  que em nenhum momento fez questão de ouvir o lado dos organizadores do evento, só interessava ali o espetáculo aviltante em que pessoas foram constrangidas de forma gratuita e intimidadora. Contrariando o manual básico do “fazer” jornalístico, apenas a batida policial foi focada, dando ao espectador desavisado um recorte reduzido e errôneo do que acontecia naquele momento.

A polícia tem o seu papel sim, mas é proteger e não infligir medo a quem não fez por merecer. A força policial é necessária e bem-vinda em espaços públicos como aquele, mas a maneira como aconteceu merece o nosso repúdio.

O Duelo de MCs é um espaço de convivência mantido ao longo de quatro anos com muito esforço e lutando contra uma série de preconceitos e a evidente má vontade da gestão Lacerda, que, diga-se de passagem, ainda vê a cultura como “mercadoria” supérflua.

Lamentável!

leiam mais a respeito no blog da Família de Rua.

Comemorando 4 anos de Duelo de MCS

Posted in Uncategorized with tags , , on agosto 26, 2011 by Roger Deff

Volta e meia e a gente cita o Duelo de MCs aqui no blog. Não é por acaso. Trata-se de uma das mais importantes ações pró hip-hop do país e acontece justamente em nossa cidade, BH.

Hoje os caras estão comemorando quatro anos de existência, com muita luta e vitórias substancais.

Parabéns Família de Rua. O H2 brazuca agradece.

 

Independência ou Pop no Duelo de MCs

Posted in Uncategorized with tags , , , on agosto 19, 2011 by Roger Deff

Hoje no Duelo de MCs rola a veiculação do documentário produzido pelo Gusmão, batera do Julgamento.

O trabalho é um recorte do cenário musical de BH em 2009, com seus vários pontos de vista e opiniões. Vale a pena demais  conferir. O Duelo rola ali no Viaduto Santa Teresa (alguém não sabia?)